Geoambiente: Geologia e Engenharia Ambiental

On Site e Off Site, qual a melhor técnica?

On Site e Off Site, qual a melhor técnica?

A remediação ambiental exige exatidão. Compreender o desafio de forma vertical, cria a estrutura técnica que vai sustentar o projeto. Para isso é necessário lançar mão de um diagnóstico preciso, é ele que vai determinar a melhor técnica para cada caso.

Existem três possibilidades, duas delas “on site” (no local do evento) chamadas de In situ e Ex situ; e a outra “off site” (fora do local da contaminação).

A técnica In situ não necessita de escavações, a metodologia pode utilizar sistemas de bombeamento; extração de vapores; extração multifásica; processos oxidativos; barreiras reativas, hidráulicas ou filtrantes permeáveis; sistemas térmicos; ou biorremediação.

A Ex situ exige um pouco mais de atenção, pois é necessário escavar até a área contaminada, extrair o material e tratá-lo em um outro lugar no mesmo local do evento.

Já a “off site” é a que apresenta maior risco, uma vez que é necessária a remoção do material contaminado para outro destino como aterros; coprocessamento (utilização de fornos de cimento com o aproveitamento da energia contida nos resíduos); dessorção térmica (trata os solos contaminados com hidrocarbonetos não recicláveis usando energia térmica para separar fisicamente compostos voláteis do solo); biopilhas (utilizadas para reduzir concentrações de hidrocarbonetos de petróleo presentes no solo através da biodegradação).

A melhor escolha vai sempre depender do diagnóstico. Quer saber mais detalhes sobre os processos remediadores, entre em contato conosco.