Remediação Ambiental

Técnicas de remediação ambiental existem para preservar bens naturais e a saúde humana. A evolução tecnológica proporcionou várias técnicas de remediação de solo e água. Dentre as principais técnicas adotadas mundialmente, a Geoambiente trabalha com as seguintes:

Remediação de solventes clorados.

Solução para Biorremediação de Solventes Clorados

Percloroetileno, Tricloroetileno, 1,1 Dicloroeteno, 1,2 Dicloroeteno, Cis, Trans, Cloreto de Vinila e a lista continua.

As soluções tradicionais para biorremediação de solventes não estão surtindo o efeito esperado? A GEOAMBIENTE em parceria com a empresa RNAS INC dos Estados Unidos, trouxe para o Brasil um biorremediador natural a base de óleo vegetal solúvel para a aplicação em sites contaminados por solventes clorados.

O produto possui características únicas que permitem que ele seja utilizado em solo brasileiro pois o tamanho das gotículas de óleo solúvel emulsionado em água são menores que 5 micrômetros. Com este tamanho de micro gotícula é possível sua aplicação em solos siltosos e argilo-siltosos pois se tornam viáveis como alimento biorremediador nos poros do solo, auxiliando no processo de degradação dos compostos clorados.

Além disso o produto apresenta fácil aplicação em campo, considerando que ele é totalmente solúvel em água em qualquer proporção além de possuir baixa viscosidade que acelera o processo de mistura e reduz os custos de injeção em campo.

O produto pode ser aplicado através das técnicas de DIRECT PUSH ou mesmo através de trincheiras de poços instalados para injeção em zonas específicas do lençol freático. 

Além do produto NEWMAN ZONE a empresa RNAS INC, através da GEOAMBIENTE, também pode fornecer o Buffer NEUTRAL ZONE que evita que o pH do meio se altere a níveis que possam impedir o metabolismo das microrganismos biodegradadores.

O Sr. William Newman, proprietário da patente dos produtos remediadores, possui vasta experiência na biorremediação de áreas contaminadas nos EUA e também pode auxiliar com seu conhecimento avaliando se seus produtos são viáveis para aplicação especificamente em seu caso. Para isto, nos envie um email que faremos uma avaliação sem compromisso.

 
Produtos e serviços inovadores para remediação
Diagnóstico e Remediação.
Estabilização de metais pesados.

Parceiros:

Diversas opções viáveis são possíveis para o gerenciamento de áreas contaminadas por metais pesados, permitindo o reuso do solo e redução significativa de custos de tratamento.


O QUE É ESTABILIZAÇÃO?
Adicionar reagentes para formar complexos minerais no solo e aquífero de forma a reduzir:
Lixiviação. 
• Redução das concentrações em água subterrânea.
• Toxicidade.

Os reagentes tipicamente usados são:
• Fosfatos, Ferro, Enxôfre
• Alterações de pH
• Adsorção / Redução biológica

Os produtos químicos são determinados especificamente para cada site.
• São realizados previamente estudos de tratabilidade específicos para o site que deseja tratar.
• Os testes de blendagens objetivam a estabilização de longa duração nas condições do site e/ou a reutilização do solo remediado.

Com isto há redução significativa de custos no reuso do solo contamiando.

MÉTODOS
• Injeção
• Mistura mecânica (escavadeiras).
• Barreiras reativas permeáveis.

REAGENTES
• Podem ser aplicados em pó ou grânulos.
• Como solução ou caldo.

PROJETO INCLUI:
• Metas de redução
• Plano de estabilização considerando:
   
• Caracterização do site
   
• Estudos de tratabilidade
   
• Uso futuro
• Riscos de exposição
• Custo associados ao tratamento

Injeção na formação por Direct Push.

Remediação ambiental de solo e água subterrânea

Injeção de Produtos Químicos Remediadores - Oxidantes, Surfactantes, Liberadores Gradativos de Oxigênio e Biorremediadores.

A GEOAMBIENTE realiza os serviços de injeção de produtos remediadores considerando: Persulfato de Sódio, Peróxido de Cálcio, Surfactantes Aniônicos Biodegradáveis, Liberadores Gradativos de Oxigênio e Óleo Vegetal solúvel.

Os contaminantes tratados pelo método de injeção podem variar desde BTEX (benzeno, tolueno, etil-benzeno e xilenos), TPH's, PAH's e Solventes Clorados (percloretileno) entre outros. O uso de surfactantes permite normalmente o aumento da recuperação de fase livre ou a redução dos níveis de concentração.

Os serviços são realizados no local da área contaminadas com injeção por "direct push" diretamente nas zonas vadosa ou saturada. A injeção por "direct push" permite a ação dos produtos químicos remediadores diretamente na zona afetada solo/lençol freático contaminado.

A GEOAMBIENTE dispõe atualmente de 5 (cinco) equipamentos montados sobre caminhões com os sistemas "direct push" e "hollow auger" podendo realizar os trabalhos de injeção em grandes volumes e locais distantes. O sistema de injeção é totalmente independente e os produtos são levados a campo no próprio veículo facilitando a logística.


A injeção de produtos remediadores em clientes necessita de estudos prévios dos níveis de contaminação, a escolha adequada dos produtos a serem aplicados por engenheiros e especialistas, bem como aprovação prévia dos órgãos ambientais.

Consulte a GEOAMBIENTE caso tenha interesse na rápida resolução de passivos ambientais e verifique se as técnicas de injeção são apropriadas para sua necessidade.

 
OXYGEO - Oxidante poderoso para remediação

A mistura oxidante desenvolvida e patentada pela GEOAMBIENTE é extremamente eficaz e poderosa na destruição de compostos químicos derivados de hidrocarbonetos, solventes clorados e pesticidas. 

O produto e método de aplicação patenteados permitem uma ação definitiva na remediação de solos e águas subterrâneas contaminados.

Basicamente o produto é constituído por um potente oxidante (Persulfato de Sódio) e um liberador gradativo de oxigênio (Peróxido de Cálcio). Em conjunto os produtos promevem um efeito único na oxidação, sendo:

  • Ativação do persulfato de sódio pela elevação do pH promovido pelo peróxido de cálcio,
  • Aumento do poder oxidativo do persulfato de sódio em conjunto com a liberação de oxigênio simultânea,
  • Reação controlada, não exotérmica, de longa duração, com controle do pH do meio onde o produto é inserido.

Portanto, suas características somadas promovem a criação de uma condição única desejável em remediação ambiental, neste caso forte poder oxidativo proveniente do Persulfato de Sódio e a liberação gradativa de oxigênio para bioestimulação oriunda do Peróxido de Cálcio.

O produto é resultado de diferentes variações de concentração entre Persulfato de Sódio e Peróxido de Cálcio, estando apto a desempenhar seu papel remediador para cada tipo de contaminante, solo ou aquífero freático. O OXYGEO foi desenvolvido para ser utilizado na remediação de solos e água subterrânea contaminados com os mais diferentes compostos químicos contaminantes como Hidrocarbonetos de Petróleo, VOC’s, SVOC’s, Pesticidas e quaisquer outras substâncias suscetíveis a ação dos oxidantes e radicais livres gerados pela reação do produto OXYGEO.

Ao ser misturado com água o produto reage prontamente quando dissolvida em água, onde a reação química se inicia quase que imediatamente com a produção do radical oxidante de interesse (íon hidrogeno sulfato HSO4-), a produção de tal íon somente é possível, pois o peróxido de cálcio age como agente ativador fazendo com que o pH da solução atinja valores maiores que 10, suficientes para ativação do persulfato de sódio, bem como age também como agente tamponante evitando que o pH da água subterrânea ou do solo local alterem o pH da mistura.

Em conjunto com a ativação do persulfato de sódio ocorre a liberação gradativa de oxigênio pela decomposição do peróxido de cálcio por períodos de até doze meses. Não há necessidade de utilização de produtos químicos ou técnicas adicionais para ativação do persulfato de sódio visto que o peróxido de cálcio cumpre perfeitamente esta função como ativador mantendo o pH da solução sempre acima de 10,0. O resultado da mistura entre os compostos peróxido de cálcio e persulfato de sódio é também a união de duas características importantes em um mesmo produto, sendo uma a de oxidante forte fornecida pelo persulfato de sódio e outra de um bioestimulador ou liberador gradativo de oxigênio de longa duração promovido pelo peróxido de cálcio. 

Aliadas ainda as vantagens já mencionadas o produto remediador em questão pode ser produzido em variações de concentrações diferentes entre seus componentes permitindo a produção em misturas com características específicas desejáveis para cada tipo de contaminante ou concentração de poluente a ser tratado. As misturas entre os componentes em cinco níveis de características desejáveis de acordo com cada composição: A, B, C, D e E, onde estas denominações indicam que os produtos com a classificação “A” são altamente oxidantes e com baixo poder liberador de oxigênio, enquanto que o produto com classificação “E” tem alto poder liberador de oxigênio por longos períodos e menor poder oxidante.

Devido ainda a classificação em categorias o produto remediador inova também pela sua facilidade de utilização em projetos de remediação visto que o produto está pronto para uso e pode ser adequadamente escolhido de acordo com o tipo de remediação que se deseja realizar, mais oxidativa “A”, equilibrada entre oxidativa e bioestimulante “C”, ou mais bioestimulante “E”, sendo ainda que podem ser escolhidas entre as cinco configurações diferentes de acordo com o objetivo proposto para a remediação. 

A reação química final da mistura patenteada do OXYGEO da GEOAMBIENTE promove além de uma oxidação poderosa e controlada, uma neutralização final que não gera quaisquer impactos ao solo e água subterrânea local. Como pode ser observado na equação química abaixo o resultado final da oxidação gera os compostos sulfato de sódio (bioestimulador anaeróbio de longa duração) e o sulfato de cálcio (um sal inerte também encontrado em sua forma natural como gesso).

 

 

 

Surfactantes.

O uso de surfatctantes tem sua aplicabilidade quando as substâncias contaminantes estão fortemente aderidas na matriz do solo, impedindo sua liberação pelos meios tradicionais. Desta forma, é aplicado especificamente de acordo com o contaminante, podendo ser utilizados surfatctantes que liberam o contaminante para o meio aquoso, permitindo sua captura por métodos tradicionais. Os surfactantes também devem ser utilizados com muito critério técnico, pois a liberação de contaminação pode ampliar um problema até então retido.

Sistemas de Remediação MPE e Ponteiras Flutuantes

SISTEMA MPE (MULTI-PHASE EXTRACTION)

Os sistemas de remediação por tecnologia MPE (multi-phase extraction) da GEOAMBIENTE são construídos com a melhor engenharia e materiais disponíveis, robustos estão equipados em sua maioria com motores de 15 hp (cavalos).

Todos os sistemas funcionam automaticamente com controle ON-LINE por CLP e 3Ge 4G. Os sistemas possuem proteções contra vazamento com bacia de contenção acoplada, caixa separadora e filtros, qualquer excesso de vazão o sistema se autorregula pela softeware instalado em seu CLP para prevenir vazamentos.

De forma a ampliar significativamente a remoção de fase livre do lençol freático a GEOMBIENTE desenvolveu e patenteou um sistema exclusivo de Ponteiras Automáticas Flutuantes. Com o uso das ponteiras automáticas a remoção de fase livre e rebaixamento do lençol são drasticamente ampliadas pois as ponteiras se auto-ajustam ao processo de bombeamento e rebaixam o lençol freático em até 3,0 (três) metros *caso seja requerido, além do nível estabilizado do freático. Normalmente o rebaixamento adotado é da ordem de 0,5 metros de forma a não levar a contaminação a zonas mais profundas em zona saturada.

Segue abaixo uma figura representativa das ponteiras automáticas Geoambiente e de seu funcionamento.

 

Figuras – Ponteiras Automáticas - Processo Patente Inpi Geoambiente

Juntamente, o sistema possui as tecnologias de vácuo através de pás radiais de dupla ação ou anel líquido, dependendo do objetivo (alta vazão e vácuo médio ou vazão média e vácuo elevado), que garante que o melhor sistema seja colocado para as condições de profundidade de lençol, geologia e número de poços de extração, garantindo a ótima recuperação de contaminantes com boa capacidade de rebaixamento e excelente vazão de vapores, desta forma promovendo elevada taxa de recuperação de voláteis e fase livre (quando existente), além de um bom controle hidráulico em situações que exijam controle da pluma.

Os sistemas da GEOAMBIENTE são dimensionados exclusivamente para cada cliente e condições de solo, número de poços a extrair e profundidade do lençol freático.

 

Remediação Térmica a Gás

A GEOAMBIENTE é parceira oficial credenciada pela GEOREMCO (EUA) para a instalação e operação de sistemas de remediação térmica em todo o território nacional brasileiro. http://www.georemco.com/partners

A Tecnologia de Remediação Térmica In Situ aquece o solo e a água subterrânea com o objetivo de aumentar a solubilidade e a pressão de vapor dos contaminantes, promovendo uma remediação mais rápida e mais completa até mesmo em solos argilosos de baixa permeabilidade e em rochas fraturadas. Esta tecnologia já foi aplicada com sucesso em mais de 100 projetos em todo o mundo.

Ao invés de eletricidade, o sistema patenteado da GEO utiliza gás natural ou propano ou butano para aquecer o subsolo. Esse sistema de Remediação Térmica de Gás (GTR™) pode ser utilizado em diversas escalas, para grandes ou pequenas aplicações.
Segurança, precisão e velocidade podem agora serem obtidos por um preço menor do que o preço da escavação.

Os técnicos da GEOAMBIENTE são capacitados em cursos intensivos nos Estados Unidos para a implantação e operação de projetos de remediação térmica.

O processo de remediação térmica a gás possui o diferencial competitivo em relação as tecnologias térmicas existentes, principalmente se considerarmos a indisponbilidade de energia elétrica em diversos sites contaminados no Brasil. Para o funcionamento da remediação térmica a gás basta haver disponibilidade de transito de caminhões de pequeno porte que podem levar cilindros de gás propano/butano até o local onde o sistema está implantado.

O sistema é INTRINSICAMENTE SEGURO pois a queima do gás ocorre dentro de uma câmara de combustão aspirada, semelhante ao motor de um carro, desta forma não há quaisquer riscos de implementação da tecnologia a gás em áreas classificadas como refinarias e bases de distribuição.

Outro grande diferencial competitivo da remediação térmica a gás é o custo energético. Comparativamente a eficiência energética do gás é pelo menos 25% superior a energia elétrica. Este exemplo de economia pode ser percebido em nossas residências, visto a economia dos chuveiros com aquecimento central a gás em relação aos chuveiros elétricos. Quando falamos da remediação de milhares de toneladas de solo e água contaminados este número torna-se significativo.

A remediação térmica é a solução defintiva para remediação de áreas contaminadas por compostos de difícil remediação pelos métodos convenvionais ou até mesmo por injeção de produtos remediadores, principalmente em solos altamente argilosos ou compostos recalcitrantes e de difícil tratamento.

Abaixo um desenho esquemático do funcionamento da remediação térmica a gás.

O sistema basicamente consiste em um controlador de chama interiliado por CLP (controladores lógicos programáveis) conectados a sensores de temperatura tipo Termopares, inseridos diretamente no solo ao redor da área de influência térmica do tubo de aquecimento em aço carbono. A queima ocorre em câmara de combustão, em sistema fechado a vácuo, e a energia gerada é transmitida ao solo por condução térmica. Juntamente são inseridos no solo poços para a extração dos vapores gerados durante o processo de aquecimento.

O segredo da remediação térmica a gás está calçado em três pilares:

  1. Aumento da pressão de vapor dos compostos e consequente volatilização;
  2. Redução da viscosidade dos líquidos e com isso melhora na extração do meio subterrâneo;
  3. Condutibilidade térmica mesmo em solos não saturados (não possível na tecnologia de remediação térmica a energia elétrica).

 

Remediação Sustentável

O sistema da tecnologia GTR™ permite a utilização de hidrocarbonetos de petróleo como uma fonte de combustível complementar a fim de reduzir os custos com combustíveis. Combinado com a Tecnologia C3, somos capazes de recuperar solventes ou combustíveis para reciclagem.

Como funciona a tecnologia GTR™

1) O combustível, é queimado para produzir uma alta temperatura de aquecimento para promover a circulação interna e externa do poço de aquecimento.
2) O solo e a água subterrânea são aquecidos a temperaturas de 100˚C a 400˚C por aquecimento de condução térmica (TCH).
3) Os contaminantes volatilizados são coletados por poços de extração de vapor e tratados com um módulo do sistema de tratamento de vapor.

Principais Vantagens da Remediação Térmica a Gás

  • + Contrato Baseado no Desempenho
  • + 45 a 180 dias de tratamento
  • + Sem necessidade de modernizações elétricas
  • + Sem necessidade de escavação
  • + Somente Gás Natural Limpo ou Propano
  • + Solução Completa e Final
BHI* - Tecnologia sustentável para remediação ambiental.

BHI* - Tecnologia sustentável para remediação ambiental.

A GEOAMBIENTE® inova mais uma vez em tecnologias para remediação de áreas contaminadas por hidrocarbonetos derivados de petróleo, solventes clorados e outros compostos de interesse ambiental. O método desenvolvido pela empresa une as características excepcionais de adsorção do carvão ativado a versatilidade das técnicas de injeção por Direct-Push. Inicialmente, a tecnologia está disponível com exclusividade somente para nossos clientes e poderá ser utilizada em estudos de caso e aplicações reais em campo para avaliação da sua eficácia. Essencialmente, esta nova técnica de remediação consiste na aplicação direta, em solo e/ou aquífero subterrâneo, de carvão ativado de granulometria micrométrica em uma suspensão líquida aquosa. A tecnologia foi denominada Barreira Hidrogeológica Injetável ou BHI*, e está com patente requerida junto ao INPI.

O carvão ativado utilizado para produção da suspensão aquosa adsorvente é produzido a partir de cascas de coco, ou seja, de origem 100% natural e de produção nacional. O produto pode ser aplicado diretamente no ambiente subterrâneo por Direct-Push ou por meio de poços de injeção. Desta forma, contaminações em fase dissolvida, como por hidrocarbonetos derivados de petróleo, solventes clorados ou outros compostos de interesse ambiental podem ser rapidamente adsorvidos, criando, desta forma, uma barreira permeável filtrante e adsorvente.

Figura 1 – Representação esquemática de aplicação típica da técnica BHI, funcionando como uma barreira reativa permeável injetada na direção do avanço de uma pluma de fase dissolvida.

O carvão ativado é uma substância notadamente segura para o ser humano e meio ambiente, com diversas aplicações em processos de purificação e tratamentos de ar e água. Seus usos mais comuns compreendem o tratamento de água de consumo, filtros em máscaras, e até em medicamentos. Por apresentar características de elevadíssima área de contato (acima de 500 metros quadrados por grama), conforme representado na Figura 2, o produto apresenta elevada capacidade de adsorção, com maior preferência para substâncias orgânicas, as quais são adsorvidas por fisissorção e interações intermoleculares do tipo Van der Waals. Ou seja o processo é basicamente físico e não gera quaisquer alterações físico-químicas quando inseridas no meio ambiente, não requerendo, portanto, registro como produto remediador pelo IBAMA.

Figura 2 – Micrografia obtida por Microscopia Eletrônica de Varredura do carvão ativado

A aplicação do carvão ativado em um veículo líquido proporciona extrema facilidade de manuseio em campo e distribuição do produto no ambiente subterrâneo, podendo ser aplicado por gravidade ou com auxílio de bombas. As aplicações em solos brasileiros têm mostrado, na prática, raios de influência (ROI) por dispersão superiores a três metros.

A efetividade em casos reais também está comprovando os desempenhos excelentes na redução dos níveis de concentração de contaminantes em fase dissolvida. A homogeneidade e estabilidade da suspensão por longo período, são a chave para que os processos de injeção tenham ótima distribuição e dispersão do carvão ativado no meio subterrâneo, isto só é possível graças ao segredo do processo produtivo, desenvolvido pela GEOAMBIENTE®.

O uso da tecnologia BHI não está restrita apenas a criação de barreiras reativas, uma vez que esta possibilita também a aplicação em regiões centrais de plumas de contaminação, agindo como meio adsorvente capaz de reduzir de forma rápida (menos de uma semana) elevadas concentrações de contaminantes, permitindo assim um maior controle da contaminação e de seu posterior tratamento com técnicas de eliminação de massa, como oxidação ou redução químicas.

Além de proporcionar um meio capaz de adsorver e reter os contaminantes em plumas de fase dissolvida, a tecnologia BHI pode ser utilizada em conjunto com outras técnicas e produtos comumente utilizados em remediação, como persulfato de sódio, peróxido de cálcio, percarbonato de sódio, peróxido de hidrogênio, permanganato de potássio, sulfato de sódio, lactatos, óleos vegetais solúveis, entre outros. Pelo fato do carvão ativado ser inerte a ação dos produtos mencionados e possuir elevada área superficial, os microgrânulos servem ainda como meio de suporte para o desenvolvimento de microrganismos que auxiliarão em processos concomitantes de bio-remediação aeróbia ou anaeróbia.

Figura 3 – Princípio de funcionamento da Tecnologia BHI

1.    Aquífero contaminado.

2.    Injeção de suspensão aquosa de carvão ativado.

3.    Aderência do carvão ativado em parte dos poros do solo.

4.    O fluxo de contaminantes sofre adsorção.

5.    Redução dos índices de contaminação em fase.

6.    Início de processos concomitantes de bio-remediação por aderência de microorganismos.

De forma esquemática, pode-se observar na Figura 3 a interação entre as partículas de carvão ativado, o meio poroso do solo e o fluxo de contaminantes em água subterrânea, bem como os processos associados.

Através da versatilidade dos métodos de injeção por Direct-Push a técnica BHI pode ser aplicada virtualmente em qualquer posição e profundidade no aquífero subterrâneo, impedindo o avanço de plumas de contaminação em nível horizontal e vertical. Desta forma, pode-se evitar o avanço de plumas em direção a bens a se proteger como córregos, nascentes ou rios.

Pelo fato da suspensão aquosa ser constituída a base de carvão ativado de granulometria extremamente baixa, na região de influência dos pontos de injeção o aquífero subterrâneo é observada alteração na aparência da água para gradientes de cinza ao preto. Contudo, esta é gradativamente reduzida, e em menos de dois meses a água torna-se límpida novamente.

Estudos científicos realizados demonstram as várias capacidades adsortivas de carvão ativado na presença de soluções de contaminantes como BTEX, PAH´s, TPH´s, solventes clorados e substâncias tóxicas. Desta forma é possível dimensionar a quantidade de carvão ativado a ser transferida ao meio ambiente para a máxima adsorção dos compostos químicos de interesse. Contudo, ressalta-se que esta tecnologia não é aplicável para sites com presença de fase livre por NAPL ou DNAPL, pois nestas condições os poros do carvão ativado são rapidamente saturados e perdem a capacidade adsortiva.

Caso deseje mais informações sobre a aplicabilidade para seu projeto entre em contato com nossa equipe técnica comercial .

Solicite um orçamento agora